IMAGENS FORTES: ‘CV’ decapitam mãe e filho da facção FDN, em Manaus (Veja o Vídeo)

Uma terceira pessoa também foi decapitada. O trio, segundo a polícia, fazia parte da Família do Norte

A líder comunitária Dulcinéia Ferreira Lima Ramos, de 51 anos, o filho dela, Yuri Lima Ramos, de 19 anos, e outro homem identificado apenas como Matheus foram encontrados mortos no início da manhã desta quinta-feira (17), na comunidade Itaporanga, no bairro Nova Cidade, na Zona Norte de Manaus.

As vítimas foram amarradas, torturadas e decapitadas. Uma quarta pessoa de 34 anos também foi torturada, mas sobreviveu e foi levada para o hospital.

Veja o Vídeo:

O vídeo compartilhado nas redes sociais mostra Dulcinéia Ferreira Lima Ramos, de 51 anos, conhecida como “Baiana”, e o filho dela, Yuri Lima Ramos, de 19 anos, sendo interrogados por membros da facção criminosa Comando Vermelho (CV), antes de serem assassinados. Outro homem, identificado apenas como “Matheus”, foi decapitado juntamente com a mulher, apontada como líder comunitária e integrante da facção criminosa Família do Norte (FDN).

O trio foi encontrado morto, na manhã desta quinta-feira (17), na comunidade Itaporanga, no bairro Nova Cidade, na Zona Norte de Manaus.

Os criminosos questionam a mulher sobre o paradeiro de algumas armas. Um dos homens ameaça colocar uma granada dentro da boca de Dulcinéia. Outro diz: “Nós somos Comando Vermelho, c******, do ‘Mano G’, filha da p***. Um terceiro integrante comenta: “Chega logo”, dando entender que uma pessoa ligada ao grupo esteja indo para o local.

Com rosto machucado e sujo de barro, Dulcinéia afirma que os armamentos foram levados por policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), por volta e 1h. Ao lado dela, o filho também é alvo de torturas. 

“Mano G”

Gelson Carnaúba, que é citado no vídeo, é um dos líderes do Comando Vermelho (CV). Ele foi um dos criadores da Família do Norte (FDN), ao lado de João Pinto Carioca, o “João Brsnco”, e José Roberto Barbosa Fernandes, o “Zé Roberto da Compensa”. 

Segundo informações do tenente Francisco Batista, da 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), aproximadamente 20 homens chegaram ao local em carros a procura do trio. Eles estavam armados com pistolas, fuzil e terçados.

“As vítimas foram amarradas, torturadas e mortas por arma branca.

Dulcinéia e Matheus foram decapitados. Já o Yuri foi degolado. O atendimento da ocorrência aconteceu ainda na madrugada, mas, a princípio, não achamos o local. No início da manhã fomos acionados e localizamos os três corpos. Não temos informações sobre o motivo do triplo homicídio”, explicou o tenente Francisco Batista.

Os criminosos escreveram com sangue a sigla "CV" nas janelas
Os criminosos escreveram com sangue a sigla “CV” nas janelas |

Durante a ação, um técnico em refrigeração, de 34 anos, teve o imóvel invadido pelos suspeitos. Ele foi agredido pelos criminosos e encaminhado para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA). Não há informações sobre o estado de saúde dele.

Os móveis da casa da vítima ficaram revirados. Antes de deixarem a residência do técnico em refrigeração, uma janela e uma geladeira foram pichados com a sigla “CV”, com sangue das vítimas. A facção criminosa Comando Vermelho vem dominando algumas áreas de invasões na Zona Norte da capital amazonense.

No local, um dos moradores, que reside há quatro anos na comunidade, contou à reportagem, que Dulcinéia, Yuri e Matheus fazem parte de uma milícia na comunidade.

Segundo o morador, que preferiu não se identificar por medo de represálias, Dulcinéia era da facção criminosa Família do Norte (FDN) e cobrava taxas das vendas dos terrenos. Ela teria sido morta por vender dois terrenos de um policial da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam).

“Dulcinéia cobrava os impostos e as vendas dos terrenos e repassava ao grupo da FDN. Após ela vender dois terrenos de um policial da Rocam, o proprietário passou a ameaçá-la e afirmou que iria matá-la e quem estivesse envolvida com ela. Quero enfatizar que na comunidade também moram pessoas de bem, que trabalham dignamente, porém, há pessoas envolvidas em facções. Não posso falar muito e nem mencionar o nome do policial. Nós somos monitorados”, disse o morador à reportagem.

Envolvida na morte do marido

Uma fonte policial revelou que Dulcinéia está envolvida na morte do próprio marido, o cacique Francisco de Souza Pereira, de 53 anos. Ele foi morto com quatro tiros no dia 27 de fevereiro, após ter a casa invadida por criminosos. O crime ocorreu na comunidade indígena Urucaia, também na Zona Norte.

Ainda segundo a fonte policial, Yuri, filho de Dulcinéia, era pistoleiro da FDN. Já Matheus era o responsável pela distribuição de drogas na região. Os dois homens foram os executores da morte do cacique.

Investigação

Uma equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) esteve no local levantando as primeiras informações. Uma perna-manca, que estava suja de sangue, foi recolhida e deve ajudar nas análises de digitais.

A motivação do triplo homicídio ainda é desconhecida pela DEHS. O caso será investigado pela especializada em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Apesar do intenso tráfico de drogas e da briga entre o Comando Vermelho e a Família do Norte, a polícia acredita que a sigla do CV foi deixada para confundir as investigações e atribuir as mortes a brigas de facções criminosas.

Imagens fortes para mior de 18 anos:

Mais casos parecidos dessa guerra que parece não ter fim, casos de zonas diferentes em Manaus, Arquivos portal dos Fatos:

Portal dos Fatos curta, comente e compartilhe nossas publicações!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!