Magno revela ter sido estuprado na casa de Alejandro

Em depoimento à polícia no inquérito que investiga a morte do engenheiro Flavio Rodrigues, o repositor Elielton Magno Junior, 22, afirma que na noite do crime acordou pelado numa cama e que enviou mensagem de texto para a mãe dizendo que não sabia onde estava e temia ter sido violentado. Logo depois, Magno descobriu que a cama era de Alejandro Molina Valeiko, 29, filho da primeira-dama de Manaus.

Ao todo, seis investigados, incluindo Magno e Alejandro, estão presos temporariamente no caso que apura a morte do engenheiro. No depoimento prestado no último dia 7, Magno afirma que não recorda como chegou à casa de Alejandro no domindo 29 de setembro. Ele contou à polícia que, ao acordar, apenas o cozinheiro Vittorio Del Gatto, 67, estava na casa, situada no condomínio Passaredo, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

Magno recorda que, após sair do quarto de Alejandro, onde acordou sem roupa por volta de 20h, encontrou Vitorio na cozinha e pediu um prato de comida. Segundo Magno, o cozinheiro o orientou a comer e depois ir embora, uma vez que seus colegas não estavam na casa. 

À polícia, Magno declarou que estava há “dois dias virado”. De acordo com o suspeito, ele começou a consumir bebida alcoólica e cocaína no Bar Boêmia, localizado no bairro Centro, Zona Centro-Sul de Manaus, na noite do dia 28 de setembro. No depoimento, Magno relatou que na manhã do dia 29 de setembro, ainda no bar, encontrou com Flávio e José Edvandro Martins Junior, 31 anos, conhecido como “Junior Gordo”. Magno afirma que até aquele momento não conhecia a vítima, no entanto, já era amigo de Junior há cerca de dois anos. 

Acritica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!