Mangas bufantes invadem a moda e se tornam tendência em 2019

A modelagem de tecido abundante nos braços é a característica marcante das mangas bufantes. As peças do modelo estão caindo no gosto do street style e dominaram os desfiles das grandes marcas que desfilaram nas semanas de moda de Nova York, de Milão e de Paris. 


Bastante usadas na década de 80, as mangas bufantes voltaram com uma uma releitura mais moderna e descolada. Antes absurdamente exageradas, agora elas trazem o romantismo necessário em modelagens ligeiramente mais discretas e comprimentos cropped, ideais para combinar a peças atemporais, como o jeans. 

Leila Daher, especialista em moda e CEO da Bis Wear, explica que apesar de dividir opiniões, e até mesmo “assustar” inicialmente, a tendência não é difícil de usar. “Os vestidos são uma boa alternativa para quem tem receio, já que basta combiná-los ao slingback do momento e se jogar. Outra opção são as blusas cropped, que vão bem com diversas modelagens de jeans e linho”, afirma. 

Quem pode usar?

Apesar de não existirem regras quanto a gostos, pessoas mais antenadas às proporções e ao que valoriza seu tipo de corpo devem estar atentas, pois esse tipo de peça traz foco de volume para a porção superior do corpo. “Pessoas com o corpo tipo pera, ou seja, que possuem os ombros mais estreitos que os quadris podem abusar das mangas bufantes para trazer proporção visual ao look”, explica Leila. 

Outra classe que pode usar a tendência sem medo é a de mulheres com o tipo de corpo ampulheta. “Nesse caso é bom seguir a regra eterna de sempre marcar a cintura, de forma que a proporção do quadril fique evidente e realce o formato o formato violão”, recomenda. 

Em tese, pessoas com corpo em formato de pirâmide invertida são as que devem ser mais cuidadosas ao compor um visual com a peça. “Por já terem caracteristicamente ombros e peitos mais largos que o quadril, adicionar mais volume a essa região pode enfatizar a desproporcionalidade. Mas, caso a pessoa goste da tendência e queira usar mesmo assim, ela pode, basta equilibrar com peças mais soltas na parte de baixo”, aponta. 

Como usar?

O segredo é bem óbvio: evite peças volumosas na parte de baixo. Babados, pinças e laços devem ser deixados de lado nesse momento e substituídos por modelagens mais retas para evitar desequilíbrio e excesso de informação. 

É interessante estar atento Pa temporalidade da composição. Para que não fique datada, a CEO da Bis Wear recomenda que a peça deve ser acompanhada de roupas mais modernas, como um jeans podrinho ou saias e calças em couro. “A modelagem adotada deve ser uma mais sequinha e reta, sendo ótima para quem deseja disfarçar o quadril e desviar a atenção para os ombros”, explica. 

De acordo com Leila Daher, a peça combina como um visual mais leve e cai bem com rasteirinhas, sandálias de tiras finas, sapatilhas, botas e até tênis. “Existem inúmeras possibilidade de combinação, basta encontrar o estilo que mais se adapta e compor da maneira que preferir”. 

Confira abaixo alguns looks para se inspirar: 

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

Bis Wear/MF Press Global

BONDE

Você pode gostar!

https://portaldosfatos.com.br/category/moda/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!