Agência do governo aprova redução de 5,91% nas tarifas dos consumidores da Amazonas Energia

O efeito médio a ser percebido pelos consumidores de baixa tensão é de uma redução de 5,73%, sendo que para os consumidores residenciais a queda será de 5,91%.

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou hoje (29/10), em reunião pública, redução nas tarifas dos consumidores atendidos pela Amazonas Energia S/A. A concessionária atende cerca de 1 milhão de unidades consumidoras localizadas em 62 municípios do Estado do Amazonas. As novas tarifas entram em vigor a partir de 1º de novembro.

O efeito médio a ser percebido pelos consumidores de baixa tensão é de uma redução de 5,73%, sendo que para os consumidores residenciais a queda será de 5,91%. O pagamento antecipado do empréstimo da Conta ACR, medida adotada pela ANEEL dentro de sua Agenda de Desoneração Tarifária, foi um dos principais motivos da queda nas tarifas da empresa. A ação contribuiu com redução de 5,36% no presente reajuste.

A quitação da conta ACR ocorreu em setembro, passado. O pagamento, que vencia em abril de 2020, foi antecipado após intensa negociação realizada por ANEEL, Ministério de Minas e Energia e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em um movimento que retirou R$ 8,4 bilhões das contas de luz dos brasileiros até 2020.

Confira os índices que serão aplicados às contas de luz dos consumidores da Amazonas Energia.

Bandeira Vermelha

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a bandeira tarifária para o mês de novembro será a vermelha, no patamar 1, quando há um acréscimo de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em outubro, a bandeira foi a amarela, cujo acréscimo na conta é de R$ 1. Desde outubro, a aplicação das bandeiras tarifárias atinge também as contas de energia no Amazonas.

De acordo com a agência, a decisão de elevar o patamar da bandeira se deve ao fato de que, apesar de novembro ser o mês de início do período chuvoso nas principais bacias hidrográficas do país, o regime de chuvas está abaixo da média histórica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!