Bolsonaro: ‘A ideia é que os futuros servidores não tenham estabilidade’

O presidente Bolsonaro reiterou que pretende acabar com a estabilidade dos futuros servidores

O presidente Jair Bolsonaro comentou na manhã deste sábado, (2/11), sobre a reestruturação das carreiras do serviço público prevista na reforma administrativa. “A ideia é que os futuros servidores não tenham estabilidade “, reiterou. O governo avalia contratar os novos servidores pelo regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), para que só após um prazo, que pode ser de dez anos, eles atinjam a estabilidade do cargo. 

Bolsonaro disse novamente que não vai cumprimentar o presidente recém eleito na Argentina Alberto Fernandez. “Quem faz aquele sinal (o L com a mão em sinal de Lula livre) não merece “,  afirmou.  Não vai mandar representante mas também não impedirá “quem quiser ir”.

Fernandez assume o cargo como presidente no dia 10 de dezembro, sem representação do Brasil na cerimônia de posse. Como a Argentina é o maior parceiro comercial do Brasil, segundo interlocutores do presidente, a intenção é de que o relacionamento bilateral seja estritamente pragmático. 
No dia da eleição, Fernández postou uma selfie em uma rede social fazendo o sinal de apoio ao ex-presidente Lula, o que Bolsonaro considerou uma afronta à democracia do Brasil. Lula está preso desde 7 de abril de 2018 na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!