Polícia Federal já quer, mas Fachin segura, prisão de Braga na Lava Jato

Se dependesse das investigações da Polícia Federal, o senador do MDB do Amazonas, Eduardo Braga, teria sido preso ontem mesmo, dia 5, na ação na operação Lava Jato determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Braga está envolvido nas investigações sobre a propina de R$ 40 milhões, dos quais teria recebido R$ 6 milhões, que a presidente da República em 2014, Dilma Rousseff (PT), supostamente autorizou para comprar apoio do MDB.

O senador do Amazonas é citado como recebedor de propina, ao lado de outros políticos do partido, em delação premiada do ex-presidente da Transpetro/Petrobrás e ex-senador do MDB Sérgio Machado. Delações de executivos da JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, também serviram.

Intimação da polícia

Segundo o jornal O Globo, o ministro-relator da Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, negou pedidos de prisão de políticos com foro privilegiado, como é o caso de Braga, assim como os de Dilma e do ex-presidente Lula da Silva (PT), além de outros.

Fachin optou, neste momento, por mandar a polícia intimar Braga para prestar preliminarmente depoimento sobre as acusações que lhe pesam. Leia mais em O Globo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!