Sindicatos: Wilson Lima e deputados atacam servidores com aumento da alíquota para previdência

O Asprom/Sindical disse que Wilson Lima faz um governo “ditador, tirânico, arbitrário, opressor, traidor, estúpido, prepotente e despreparado

O Sindicato dos Traalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) e o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom/Sindical) protestaram, nesta quarta-feira, contra o Projeto de Lei do governo do Amazonas, aprovado pela Assembleia Legislativa (ALE) que aumenta o percentual de contribuição dos servidores de 11% para 14%, diminuindo, consequentemente, os salários. 

Para o Sinteam, “como se não bastasse toda a humilhação durante a greve e depois dela, o congelamento de salário até 2021, o atraso no pagamento de salários de novembro e dezembro, o governo enviou e a ALE aprovou o aumento no desconto da previdência de 11% para 14%. Na prática, isso significa redução no salário”. Segundo o Sinteam, “os ataques não são só do governo estadual. O aumento no desconto obedece à uma determinação do governo federal, que incita os estados a acompanharem a medida, sendo que o Amazonas não possui os mesmos déficits na previdência”. 

O Asprom/Sindical disse que Wilson Lima faz um governo “ditador, tirânico, arbitrário, opressor, traidor, estúpido, prepotente e despreparado, sustentando o pacote de maldades que arrasa e humilha os professores e os demais servidores públicos em geral, mancomunado com deputados estaduais que fazem o que o mestre mandar’”.

“Reprovamos totalmente as ações descabidas e desastrosas deste governo: o congelamento salarial, atraso dos salários, não cumprimento do protocolo de entendimento resultante da greve, e agora, a diminuição dos salários em 3%, consequência do aumento da alíquota previdenciária para 14%”, diz a nota do Asprom/Sindical.

Matéria que você pode gostar de ler:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!