Câmara de Manaus empossa Marisson Roger na cadeira que foi de Tabosa

Marisson Roger assume cadeira de vereador da Câmara Municipal de Manaus nesta sexta-feira, dia 13. Filiado ao partido Progressistas, o antigo PP, ele toma a vaga que foi de Ronaldo Tabosa (sem partido), cassado por infidelidade partidária.

A troca é determinação do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), em despacho do desembargador eleitoral Abraham Peixoto Filho. Roger (na foto, ao centro) é suplente do partido, com 773 votos nas eleições de 2016. Sua posse é uma vitória obtida por ação da advogada Maria Benigno impetrada pelo Progressistas no último dia 16 de novembro. A decisão de Peixoto Filho saiu no dia 4 deste mês.

Política não quer Tabosa? No dia 15 de outubro de 2019, por unanimidade, o TRE-AM decretou a quarta cassação de mandato de Tabosa. Desta vez, por ter deixado o antigo PP em 2018 e neste mesmo ano ter assumido vaga deixada na câmara por Álvaro Campelo, que virou deputado.

A primeira cassação, em 2009, na verdade foi do seu filho Jander Tabosa. Candidato a vereador em 2008, quem aparecia no horário eleitoral era o Tabosa pai, induzindo o eleitor ao erro. Assim, Jander se elegeu, mas perdeu o cargo por falsidade ideológica. O pai foi condenado a ficar inelegível.

Em 2010, Tabosa estava no PV e foi eleito como suplente de deputado estadual. Logo depois do pleito, abandonou o partido. Em junho desse ano ainda tomou posse em vaga deixada por Ângelus Figueira, que foi ser prefeito de Manacapuru.

O PV conseguiu retomar o mandato e Tabosa foi cassado por infidelidade partidária. Tabosa viria a sofrer sua terceira cassação em 2013, ainda como consequência da inelegibilidade provocada pela falsidade ideológica da eleição de 2008. Ele se elegeu vereador no pleito de 2012, para ser cassado no ano seguinte depois de impugnação de seu mandato, cedendo a cadeira para Glória Carrate (PDT).

Foto: Divulgação/Progressistas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!