Polícia descarta homofobia em caso de agressão contra Karol

Youtuber poderá responder por denunciação caluniosa

A Polícia Civil do Rio de Janeiro descartou a existência de crime de homofobia no caso envolvendo a agressão contra a youtuber Karol Eller no último domingo (15). A delegada Adriana Belém concluiu, após ouvir Karol, sua namorada, o agressor e as testemunhas, que foi a própria influenciadora quem iniciou as agressões.

Além da fala das testemunhas e dos envolvidos no caso, a delegada também teve acesso a câmeras que ficam no entorno do quiosque onde aconteceu a briga, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, para tomar a decisão. Nos depoimentos, os funcionários do quiosque informaram que foi Karol quem iniciou a discussão. O motivo da briga teria sido uma crise de ciúmes.

Segundo a delegada, o agressor agora deverá responder pelo crime de lesão corporal. Já Karol e a namorada serão ouvidas novamente para esclarecimentos e podem ser indiciadas por denunciação caluniosa.

O advogado de Eller, Rodrigo Assef, negou que o caso se trate de agressão mútua e disse que a defesa não teve acesso ao inquérito policial depois da nova hipótese sobre o caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!