Fla encara Liverpool pra confirmar jornada épica e superar até time de Zico

Foram 38 anos de espera, desilusões e até uma sensação de que o topo do mundo seria sempre uma imagem de cores meio desbotadas e em baixa definição. Mas Hoje (21), às 14h30 (de Brasília), o Flamengo encara o Liverpool, no Estádio Khalifa, em Doha, a 90 minutos de ter novamente o mundo a seus pés.

O destino foi caprichoso. Após uma seca de quase quatro décadas desde o título da Copa Libertadores, uma virada épica por 2 a 1 sobre o River Plate (ARG) confirmou o caneco e o passe para a disputa do Mundial. Calhou de o rival da decisão ser o mesmo de dezembro de 1981, para definir uma revanche

No Estádio Nacional de Tóquio, o maior Flamengo de todos os tempos botou os ingleses na roda e venceu por 3 a 0. Se o filme se repetir no Qatar, não importando o placar, Gabigol, Bruno Henrique, Arrascaeta e companhia elevarão essa equipe de 2019 a outro patamar, atingindo uma inédita tríplice coroa na história de 124 anos do rubro-negro. O título intercontinental se juntaria aos da Libertadores e do Brasileirão —para não falar do já longínquo Carioca.

É bem verdade que a decisão no Japão se resumia a 90 minutos de embate entre os campeões da América do Sul e da Europa, enquanto a versão capitaneada pela Fifa traz para a festa clubes de todos continentes. Para se ver novamente diante de sua própria história, o Flamengo venceu o Al-Hilal (SAU) por 3 a 1, ao passo que o Liverpool suou para bater o Monterrey (MEX) por 2 a 1, carimbando sua vaga e confirmando um novo capítulo dessa “rivalidade” intercontinental.

Assim como em Tóquio, o Liverpool entra em campo com status de favorito. Em comum com a decisão de anos atrás há também o fato de que os sul-americanos seguem adorando mais essa conquista do que os europeus.

Com a bola rolando, no entanto, já um Mundial em jogo, ainda que outras competições tenham mais prestígio para quem preciso superar os mais galácticos clubes do Velho Continente para estar no Qatar. “São equipes taticamente evoluídas.

Quem ganhar vai ganhar por estar melhor taticamente, vai ganhar quem for mais criativo taticamente. Quem for mais criativo e disciplinado será o vencedor do jogo”, afirmou o técnico Jorge Jesus

Do lado vermelho, o treinador Jürgen Klopp foi fiel ao seu estilo “sincerão” e apontou a diferença de engajamento que há entre os países. O alemão disse que isso pode fazer diferença a favor do Fla, mas disse que a conquista inédita está nos planos de um dos mais importantes clubes do mundo:

“Nós ouvimos ao sair: ‘fiquem e joguem a Copa da Liga Inglesa’. Eles ouviram: ‘vão e voltem como heróis’. É uma grande diferença. Mas estamos aqui, queremos vencer uma competição. A visão já é diferente agora após uns dias para nós.”

Os dias que antecederam o duelo foram marcados por troca de gentilezas entre os comandantes e também por um debate sobre bola e finanças. Poderá o “pobre” Flamengo bater o milionário Liverpool? Há como um time caracterizado pela atitude ofensiva encarar de peito aberto a equipe mais forte do futebol. As respostas chegarão em breve. Quis o destino que o Fla tivesse adiante o mesmo rival. O final feliz pode ser reescrito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!