Wilson Lima já tem R$ 3,2 bilhões a mais de receita bruta que antecessor

A receita já é a maior da história do Amazonas. E governador continua reclamando de falta de dinheiro, atrasando pagamentos da área de saúde e colocando a culpa dos problemas em administrações passadas.

A administração do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), deve fechar o ano de 2019 com uma receita bruta acima de R$ 21,1 bilhões, ou R$ 3,2 bilhões a mais do que a administração de seu antecessor, Amazonino Mendes. Ou seja, o que não falta é dinheiro. A receita e R$ 3,9 bilhões maior do que a arrecadação prevista inicialmente no orçamento do Estado para este ano. E já é a maior da história do Amazonas. O aumento é de 18,35%. Como a estimativa de inflação para este ano é de 3,28%, a arrecadação este ano deve fechar com um crescimento real de cerca de 15%.

Os números da arrecadação do Estado em 2019 e 2018, no Portal da Transparência da Secretaria da Fazenda – Sefaz (Reprodução).

Os números estão no Portal da Transparência do Estado e ainda podem crescer. Até esta quinta-feira, o Estado tece arrecadação bruta de R$ 21,1 bilhões (R$ 21.186.413.709,91), ou R$ 3,2 bilhões ( R$ 3.286. 246.250,71) a mais do que em 2018 e R$ 3,9 bilhões a mais do que a inicialmente prevista (R$ 3.971.744.709,91).

Em junho desse ano, um relatório do governo apresentado à Comissão de Assuntos Econômicos da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) apontava que, nos dois primeiros meses de 2019, a despesa do governo havia aumentado 11% e que havia necessidade de cortes na saúde e educação. O governador congelou salários do funcionalismo, no chamado “pacote de maldades”.

Os números de 2019 indicam que o Estado deverá ter ainda mais recursos em 2020 do que o previsto no Orçamento enviado à ALE. Wilson Lima enviou a Lei Orçamentária Anual (LOA) para o ano que vem prevendo um aumento de R$ 2 bilhões, levando em consideração a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) e do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), para 2020, e os principais indicadores econômicos do Amazonas.

De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado do Amazonas foi de R$ 26,165 bilhões no terceiro trimestre de 2019, um crescimento nominal de 6,06% na comparação com o terceiro trimestre de 2018. Descontada a inflação pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA), o aumento real foi de 3,07%. A alta foi de 2,58% em relação ao segundo trimestre deste ano, quando o PIB apurado foi de R$ 25,507 bilhões.

Salários atrasados

Este ano, Wilson Lima, com o apoio dos deputados aliados na ALE, congelou os salários dos funcionários públicos do Estado. O “pacote de maldades” do governo do Amazonas suspendeu os reajustes salariais em todo o Estado até 2021. No final do ano, atrasou os pagamentos dos salários de novembro e dezembro. E, na última semana, atrasou, sem nova data, o pagamento dos funcionários terceirizados.

O Jornal Nacional da Rede Globo de Televisão informou, no início do mês, que o atraso no pagamento de salários de servidores terceirizados agravou a crise na saúde pública do Amazonas. A reportagem mostra

que a crise chegou aos pronto-socorros de Manaus, onde pacientes informaram que estão faltando medicamentos básicos, o que obriga os familiares a comprar, segundo os depoimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!