Deputados mostra real situação no hospital Francisca Mendes

Deputados disseram que constataram algumas irregularidades como aparelhos de ecocardiograma, mamógrafos e de ressonância parados, aguardando por manutenção, e muita reclamação dos pacientes.

Os deputados estaduais Wilker Barreto (Podemos) e Dermilson Chagas (PP) informaram que visitaram nesta quinta-feira (26) o Hospital Universitário Francisca Mendes e se depararam com o mesmo cenário visto nos últimos dias no local: equipamentos quebrados, falta de alguns medicamentos e, principalmente, a ausência de prteses, Próteses e materiais especiais, considerados insumos essenciais para as cirurgias de grande porte, além do atraso dos salários dos funcionários, que estão há três meses sem receber.

Segundo os deputados, a visita desmente as recentes entrevistas dadas pelo governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmando que a unidade de saúde está funcionando regularmente. Os parlamentares disseram que mais uma vez foram impedidos pela Secretaria de Saúde do Estado (Susam) de vistoriar o local, mas posteriormente foram liberados sob a condição de não fotografar nem filmar as dependências do Francisca Mendes. Em um novo acordo, os parlamentares puderam fazer vídeos com os próprios celulares.

Incursão

Acompanhados da secretária executiva de Atenção Especializada da Capital (SEA- Capital) da Susam, Dayana Mejia, e da direção do Francisca Mendes, os deputados constataram algumas irregularidades como aparelhos de ecocardiograma, mamógrafos e de ressonância parados, aguardando por manutenção, e muita reclamação dos pacientes presentes no local pela demora no atendimento. Além disso, a medicina nuclear também está sem funcionar, informaram.

Wilker afirmou que o governo faz teatro ao comentar melhorias na saúde e que a atual gestão continua a dar as costas para a população amazonense, incluindo servidores da saúde, que estão sem receber há três meses e sem décimo terceiro. “O que me preocupa é que nós estamos vendo um governador mentindo descaradamente para a população. Estão faltando aqueles produtos de cirurgias, todas as maquinas paradas, raio-x parado, ressonância e cintilografia paradas, tomografia parada. E acredite, o Francisca Mendes tem meio Ecocardiograma funcionando”, disse.

Para Dermilson, a realidade encontrada no Francisca Mendes é caótica e condiz com os 30 óbitos das crianças cardiopatas somente este ano, e a fila para o procedimento cirúrgico que acumula 600 pessoas. “Hoje, no Francisca Mendes, se o paciente sair da UTI para fazer exame de ecocardiograma, ele morre. O aparelho está precário, não funciona e o governo fala que está tudo uma maravilha, mas não está. Isso é uma vergonha, esse governo prefere festas e discurso bonito do que arrumar a saúde e salvar vidas”, afirmou.

Durante a incursão, os parlamentares foram avisados que algumas cirurgias estavam sendo feitas por meio de “cartinhas”, que possivelmente vinham do alto escalão do governo dando prioridade para quem não estava na fila dos Sisreg, que é o sistema de marcação de consulta da rede pública de saúde. “É uma denúncia que vamos apurar. Se for verdade, vamos saber e convocar o Ministério Público”, disse Dermilson.

Governo

A Susam informou que o HUFM realizou a compra de 146 itens, entre equipamentos e acessórios hospitalares, para o centro cirúrgico e para reativar leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Entre os equipamentos estão um novo ecocardiograma, ventiladores pulmonares monitores multiparamétricos.

Segundo a secretaria, na última semana (16 a 20/12), 34 procedimentos cardiológicos foram realizados na hemodinâmica e no centro cirúrgico. A Susam informou que aguarda a chegada de um novo ecocardiograma comprado na semana passada para ampliar a oferta do exame. Também anunciou mais uma sala cirúrgica em funcionamento e mais seis leitos de UTI pós-cirúrgica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!