Além do caso Suzi: Outros 10 crimes que chocaram o Brasil

Crime cometido por Suzi repercute e reacende discussão sobre cuidados com menores

O polêmico caso de Suzi, transexual que estuprou e matou uma criança de 9 anos, reacendeu discussões em grupos e redes sociais sobre a punição correta para crimes contra crianças. O presidente Jair Bolsonaro foi um dos que se manifestou sobre o que pensa do caso nesta segunda-feira (9).

– Enquanto a Globo tratava um criminoso como vítima, omitia os crimes por ele praticados: estupro e assassinato de uma criança. Graças à internet livre, o povo não é mais refém de manipulações. Infelizmente a Constituição não permite prisão perpétua para crimes tão cruéis – declarou ele.

Jair Bolsonaro se manifesta sobre caso Suzi Foto: Reprodução

CASO JOÃO HÉLIO
A trágica morte do menino João Hélio, de 6 anos, aconteceu na noite de 7 de fevereiro de 2007, no Rio de Janeiro. Ele estava dentro de um carro que foi alvo de assalto por um trio de criminosos. Os três perceberam que o menino ficou preso pelo cinto de segurança, mas não o liberaram e partiram em alta velocidade. A criança acabou sendo arrastada de barriga para baixo durante sete quilômetros em alta velocidade, mesmo sob avisos de pedestres que viram a cena. O corpo de João Hélio foi encontrado dilacerado preso ao carro abandonado, sem os dedos das mãos, joelhos e cabeça. Quatro pessoas foram presas pelo crime: o motorista, que pegou 45 anos de prisão; o carona, a 44 anos e três meses; e uma dupla de ajudantes a 39 anos de prisão. Um dos condenados foi libertado no ano passado. A morte de João Hélio levou a uma série de passeatas e protestos por maiores punições e mais patrulhamento policial.

Menino Bernardo foi morto pelo próprio pai por desavenças com a mãe Foto: Arquivo pessoal

CASO MENINO BERNARDO
O menino Bernardo Osório tinha 1 ano e 11 meses quando foi morto pelo pai dentro de casa. O crime aconteceu no dia 29 de novembro de 2019 em Brasília. Após as investigações, Paulo Roberto Osório confessou o crime e disse que foi movido por “desavenças com a mãe e avó da criança”. Ele buscou Bernardo na creche, o dopou com medicamentos misturados ao suco de uva e fugiu com o corpo da criança. O criminoso já havia matado a própria mãe, em 1992, e deixou o corpo de Bernardo às margens da rodovia BR-020. Paulo está preso desde o dia 2 de dezembro e seu caso tramita na Justiça.

Isabella Nardoni foi morta e jogada pela janela quando tinha 5 anos Foto: Reprodução

CASO ISABELLA NARDONI
O caso que chocou o Brasil aconteceu em 2008. Alexandre Nardoni, pai da menina, foi condenado a 30 anos de prisão por assassinar a própria filha. Ele e a madrasta de Isabella, Anna Carolina Jatobá, jogaram a criança de apenas 5 anos da janela do apartamento em que moravam, em São Paulo. Eles viviam no sexto andar. A perícia afirma que Isabella sofreu esganadura e foi espancada antes de ser arremessada, já sem vida. Alexandre foi condenado a 30 anos de prisão e passou para o semiaberto em abril de 2019, mas depois teve que retomar ao regime fechado. Jatobá foi condenada a sentenciada a 26 anos e 8 meses de prisão e segue em regime semiaberto desde 2017.

Bernardo Boldrini foi morto pelo pai e pela madrasta aos 11 anos Foto: Arquivo pessoal

CASO BERNARDO BOLDRINI
Bernardo Boldrini faleceu aos 11 anos, após ser assassinado pelo pai Leandro Boldrini e pela madrasta Graciele Ugulini. O casal também envolveu os irmãos Edelvânia e Evandro Wirganovicz, movidos por dinheiro. Segundo a polícia, Leandro e Graciele achavam que a criança atrapalhava o relacionamento do casal e, por isso, armaram o crime. Eles cavaram uma cova numa zona de mata de Frederico Westphalen, no Rio Grande do Sul, e, dois dias depois, mataram e enterraram o menino. Bernardo foi morto com superdosagem do medicamento Midazolam, que foi conseguido no consultório do pai, que era médico. Os quatro foram condenados pelo crime. Graciele pegou 34 anos e sete meses de prisão, Leandro pegou 33 anos e oito meses, Edelvânia a 2 anos e 10 meses, e Evandro pegou nove anos e seis meses em regime semiaberto, mas mudou para a condicional após quatro.

Meninos Kauã e oaquim foram mortos em incêndio criminoso dentro de casa Foto: Arquivo pessoal

CASO KAUÃ E JOAQUIM
No dia 21 de abril de 2018, um incêndio atingiu a casa dos pastores George Alves e Juliana Salles, na cidade de Linhares, Espírito Santo. Após muitas investigações, constatou-se que o fogo foi criminoso e que George tinha a intenção de matar o filho Joaquim, de 3 anos, e o enteado Kauã, de 6. Os meninos foram agredidos, abusados sexualmente e depois carbonizados. O homicídio, segundo a Polícia Civil, foi motivado exatamente para esconder os abusos. O caso chocou as autoridades a ponto de o chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré, declarar que era pior do que o da menina Isabella Nardoni, assassinada pelo pai e pela madrasta em 2008. George Alves está preso e espera julgamento por duplo homicídio triplamente qualificado e duplo estupro de vulnerável. As penas máxima somadas chegam a 126 anos. A mãe das crianças, Juliana, também foi presa por saber dos abusos, mas solta meses depois.

Rhuan foi morto em crime hediondo pela mãe e pela companheira dela Foto: Arquivo pessoal

CASO RHUAN
A morte do menino Rhuan Maycon, de 9 anos, foi um caso que chocou o Brasil. O laudo divulgado pela Polícia Civil do Distrito Federal revelou que ele estava vivo quando foi decapitado pela própria mãe, Rosana Auri da Silva Cândido, de 27 anos, com a ajuda da companheira Kacyla Pryscila Santiago Damasceno Pessoa, de 28. Rosana, mãe de Rhuan e a parceira, Kacyla, foram presas em flagrante no dia 1º de junho. O assassinato aconteceu em 31 de maio deste ano. O menino levou uma facada enquanto dormia e, ao acordar, a própria mãe desferiu outros 12 golpes e decepou a cabeça dele. A barbaridade não parou por ai: as mulheres ainda furaram os olhos do cadáver, dissecaram a pele do rosto e tentaram incinerar o corpo em uma churrasqueira. As investigações descobriram que, um ano antes do assassinato, as mulheres amputaram o pênis de Rhuan. À polícia, Rosana alegou que ele queria ser uma menina e por isso fez o procedimento. A mulher ainda afirmou que não sentia amor pela criança e que ele atrapalhava seu relacionamento com Kacyla. Ambas esperam julgamento em júri popular.

Menino Joaquim foi morto com alta dose de insulina Foto: Arquivo pessoal

CASO JOAQUIM
Em novembro de 2013, o menino Joaquim Marques foi morto quando tinha 3 anos de idade. Segundo a Polícia, o padrasto, Guilherme Longo, matou a criança com uma alta dose de insulina e jogou o corpo em um córrego de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. O corpo de Joaquim foi achado no Rio Pardo, na cidade de Barretos (SP). Longo havia fugido para a Espanha, mas foi preso pela Interpol e extraditado ao Brasil. Ele está detido desde janeiro de 2018, mas nega a autoria do crime e aguarda julgamento. A mãe de Joaquim, Natália Ponte, também é acusada de envolvimento e irá a júri popular.

Corpo de Vitória Gabrielly foi encontrado em mata na estrada Foto: Reprodução/Facebook

CASO VITÓRIA GABRIELLY
O corpo de Vitória, desaparecida em 8 de junho de 2018, foi encontrado oito dias depois na zona rural de Araçariguama. A última vez que a menina havia sido vista com vida foi em imagens de câmeras de segurança, quando ela andava de patins perto de um ginásio esportivo. Após muitas investigações, o servente de pedreiro Julio Cesar Lima Ergesse, de 25 anos, foi condenado a 34 anos de prisão pelo homicídio da menina. Ele havia sido motivado por vingança, mas Vitória seria o alvo errado. Julio Cesar teve a ajuda do servente de pedreiro Bruno Marcel Oliveira, 33 anos, e da faxineira Mayara Borges de Abrantes, 24 anos. Os dois permanecem presos mas ainda não foram julgados pelo crime.

Caso Araceli completou 46 anos sem resolução Foto: Wikimedia

CASO ARACELI
Ainda sem conclusão, o caso mais antigo da lista remete ao assassinato da menina Araceli Crespo, que aconteceu em 18 de maio de 1973, em Vitória, Espírito Santo. O crime hediondo foi comprovado após investigações policiais, mas acabou sem culpados. Ela desapareceu e seu corpo foi encontrado seis dias depois próximo ao Hospital Infantil de Vitória. Os jovens Paulo Constanteen Helal e Dante Michelini, de famílias influentes da cidade, foram acusados de dopar a criança com LSD, abusar sexualmente dela e provocar diversos ferimentos letais. Os rapazes, sob efeito de drogas, teriam lacerado os seios, barriga e vagina da menina. Ela chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu à overdose e lesões. A dupla então teria levado seu corpo para um terreno baldio e jogado ácido corrosivo em cima para dificultar a identificação. O sargento responsável pelas investigações foi morto a tiros e o caso esquecido por anos. Apesar de Paulo e Dante serem os principais suspeitos e de terem sido condenados em 1980, recorreram e foram totalmente absolvidos em 1991.

CASO JOÃO ALEXANDRE
Apesar de terrível, é o único caso de violência da lista que não terminou em morte. Em fevereiro de 2003, quando o menino João Alexandre, de Campinas, São Paulo, tinha apenas 1 ano de idade, ele foi atirado contra o para-brisas de uma caminhonete pelo próprio pai. Alexandre Alvarenga arremessou a criança com tal força que estilhaçou o vidro e o bebê foi parar no colo do motorista. O agressor estava junto com a esposa e a filha de 6 anos e levou as duas para dentro de um bosque. O criminoso foi seguido e encontrado batendo a cabeça da menina contra uma árvore, mas foi contido e sedado. A menina teve ferimentos leves e o bebê sofreu traumatismo craniano, mas sobreviveu. Os pais foram presos e encaminhados para um hospital psiquiátrico e um presídio feminino.

Curta a página do Portal dos Fatos e fique por dentro das principais notícias.

10 comentários em “Além do caso Suzi: Outros 10 crimes que chocaram o Brasil

  • 28/11/2020 em 13:38
    Permalink

    I’m not sure exactly why but this blog is loading extremely slow for me. Is anyone else having this issue or is it a problem on my end? I’ll check back later and see if the problem still exists.|

  • 23/12/2020 em 14:54
    Permalink

    I’m not that much of a online reader to be honest but your sites really nice, keep it up! I’ll go ahead and bookmark your website to come back in the future. Cheers|

  • 24/12/2020 em 13:47
    Permalink

    Link exchange is nothing else except it is simply placing the other person’s web site link on your page at suitable place and other person will also do similar in favor of you.|

  • 25/12/2020 em 05:40
    Permalink

    If some one desires expert view on the topic of running a blog then i advise him/her to go to see this weblog, Keep up the fastidious work.|

  • 25/12/2020 em 19:43
    Permalink

    I’m really enjoying the design and layout of your website. It’s a very easy on the eyes which makes it much more enjoyable for me to come here and visit more often. Did you hire out a developer to create your theme? Great work!|

  • 15/01/2021 em 12:13
    Permalink

    Thanks a bunch for sharing this with all people you really understand what you’re speaking about! Bookmarked. Please additionally discuss with my website =). We may have a hyperlink change arrangement between us|

  • 05/03/2021 em 13:44
    Permalink

    What a stuff of un-ambiguity and preserveness of precious experience about unpredicted emotions.|

  • 06/03/2021 em 06:49
    Permalink

    Great information. Lucky me I came across your blog by accident (stumbleupon). I’ve saved it for later!|

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!