As Mortes de Kris Kremers e Lisanne Froon

É irônico que um dos desaparecimentos mais misteriosos da atualidade tenha acontecido em um dia primeiro de Abril de 2014.

Kris Kremers e Lisanne Froon eram grandes amigas, estudantes holandesas da Universidade de Utrecht, e resolveram passar suas férias mochilando na América Central, mais especificamente no Panamá. Amantes de locais naturais e paradisíacos, as duas jovens resolveram se hospedar com uma família no distrito de Boquete, ao norte da província de Chiriquí.

Era 1 de Abril de 2014, pela manhã. Local de turismo extremamente famoso na região, devido a sua natureza, Kris e Lisanne resolveram adentrar as trilhas da floresta ao redor sozinhas, pois seu guia contratado só poderia auxiliá-las no dia seguinte. Com sede de conhecer a flora local, as duas apenas foram acompanhadas pelo cão da família que as hospedou, Blue.

No final da tarde, apenas o cão voltou sozinho. Preocupados, os anfitriões entraram em contato com os pais das moças, que tentaram contactá-las, mas sem nenhum sucesso.

No dia seguinte, o guia contratado, Feliciano, foi até o local combinado e elas não apareceram. Confuso, o guia foi até a casa onde as moças estavam hospedadas e confirmou o desaparecimento.

Logo, o pânico se alastrou pela cidade e começaram uma grande busca. No dia 6 de Abril, policiais, detetives, cães e até helicópteros foram usados na busca, trazidos pelos pais das moças. Eles até ofereceram uma recompensa equivalente a 30 mil dólares por informações que levassem até o paradeiro de Kris e Lisanne.

A Mochila

Duas semanas após o desaparecimento, uma moradora da região encontrou uma mochila azul que pertencia a Lisanne. Ela a teria encontrado próxima a uma plantação de arroz, em uma ribanceira, próxima a seu vilarejo em Alta Romero.

Dentro da mochila foram encontrados dois pares de óculos de sol, 83 dólares em dinheiro, o passaporte de Lisanne, uma garrafa d’água, uma câmera digital, dois sutiãs e os smartphones das garotas, um Samsung Galaxy S3 e um iPhone. Tudo estava em boas condições e seco.

A polícia verificou que apenas cerca de pouco mais de 6 horas após o horário que elas saíram para trilha, houveram dezenas de tentativas de ligação para o 112 (número de emergência dos países baixos) e 911. Mas nenhuma retornou teria retornado sinal.

Sem sinal e sem conexão, a bateria dos telefones se estenderam bastante, sendo que a bateria do Samsung Galaxy S3 teria acabado as 5:00 da manhã do dia 5 de Abril. Já no dia 6 de Abril, diversas tentativas de desbloquear o telefone teriam sido feitas e 77 tentativas de ligação para o 911. Nesse período, os celulares foram ligados e desligados diversas vezes (talvez como uma tentativa de poupar bateria?), tendo sido o iPhone desligado pela última vez no dia 11 de Abril as 11:56 da manhã.

As Fotos

Na câmera de Lisanne Frooon foram encontradas cerca de 100 fotos da viagem que as duas estavam fazendo. As fotos do dia 1 de Abril não mostravam nada de muito anormal, apenas as moças adentrando na trilha, com fotos comuns e sorridentes. As fotos teriam sido tiradas pouco antes das primeiras tentativas de ligações para o serviço de emergência.

Em 8 de Abril, cerca de 90 fotos com flash foram tiradas entre as 1:00 e 4:00 da manhã, aparentemente em densa floresta e em um local completamente escuro. Em algumas fotos é possível ver algo que possa ser uma ravina ou um rio. Outras mostram galhos com sacola plástica e embalagem de doces em cima de uma pedra. Também há outras fotos onde é possível ver papel higiênico e um espelho. A foto mais surpreendente, no entanto é a que mostra o que parece ser a parte de trás da cabeça de Kris Kremers, com a têmpora ensaguentada.

Pedaços

A polícia ainda encontrou o short jeans de Kris bem dobrado do outro lado do riacho onde foi encontrado a mochila. Dois meses depois da descoberta da mochila, foram encontrados 33 fragmentos de ossos pelas margens dos rios, além de um pedaço de pélvis humana e, o mais assustador, uma bota, com o pé de Lisanne Froon dentro. Exames de DNA posteriores confirmaram que, além do pé ser de Lisanne, que o pedaço de osso de pélvis pertencia a Kris Kremers. Por motivos desconhecidos, os fragmentos de ossos que petenciam a Lisanne possuiam vestígios de carne e ossos, mas os de Kris estavam limpos.

Teorias e Especulações

Até hoje, a polícia sugere que uma das duas moças possa ter se machucado no meio da trilha e a outra teria acabado também machucado enquanto buscava ajuda. Especula-se que as fotos noturnas teriam sido tiradas por uma das duas no momento em que elas precisaram se separar.

O caso é que muitas pessoas não acreditam as moças tenham simplesmente se perdido, mas que tenham sido vítimas de uma pessoa ou grupo de pessoas. Isso pois, em Fevereiro de 2017, a estudante da Faculdadde Columbia Catherine Johannet foi encontrada morta, claramente assassinada, a apenas 55 quilômetros do local do desaparecimento de Kris e Lisanne. O FBI está investigando o caso e poderia sugerir uma conexão, que haveria um serial killer na região.

E você, caro leitor? O que acha? Você tem alguma especulação sobre esse caso? Sobre o que poderia ter acontecido? Analise as fotos e evidências e dê sua opinião.