Após derrota judicial, Johnny Depp é demitido de franquia

Anúncio foi feito pelo próprio ator em seu Instagram

O ator Johnny Depp não fará mais parte de Animais Fantásticos, que faz parte do universo de Harry Porter, produção da Warner Bros.

Em comunicado no seu Instagram, nesta sexta-feira (6), o ator contou que a Warner o convidou a renunciar o papel do bruxo Gellert Grindelwald no próximo filme da franquia.

O ator, de 57 anos, processou o News Group Newspapers, os editores do jornal britânico The Sun e o jornalista, Dan Wootton, por causa de um artigo de 2018 que o chamava de “agressor de esposa”. Depp, que responde processos de agressão doméstica contra a ex-esposa, a atriz Amber Heard, perdeu o processo para o tabloide britânico, mas irá recorrer da decisão.

– O julgamento surreal do tribunal do Reino Unido não mudará minha luta para dizer a verdade e confirmo que pretendo apelar. Minha decisão continua forte e pretendo provar que as acusações contra mim são falsas. Minha vida e carreira não serão definidas por este momento – disse o ator.

Em 2018, Amber escreveu no jornal Washington Post um artigo com detalhes das agressões que sofreu do ex-marido, sob efeito de álcool e drogas.

Após a publicação de Johnny, a Warner Bros. confirmou a demissão, em comunicado ao veículo Hollywood Reporter.

– Johnny Depp deixará a franquia Animais Fantásticos. Agradecemos a ele pelo seu trabalho nos filmes até aqui. Animais Fantásticos 3 atualmente está em produção, e o papel de Gellert Grindelwald será reescalado. O filme chegará aos cinemas no verão de 2022 – informou a produtora.

Confira a íntegra do comunicado oficial do ator:
À luz dos eventos recentes, gostaria de fazer a seguinte curta declaração. Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos que me presentearam com seu apoio e lealdade. Fiquei emocionado e comovido com suas muitas mensagens de amor e preocupação, principalmente nos últimos dias. Desejo que saibam que fui convidado pela Warner Bros. a renunciar ao meu papel como Grindelwald em “Animais Fantásticos” e eu respeitei e concordei com esse pedido. Finalmente, eu gostaria de dizer isso. O julgamento surreal do tribunal do Reino Unido não mudará minha luta para dizer a verdade e confirmo que pretendo apelar. Minha força de vontade continua forte e pretendo provar que as acusações contra mim são falsas. Minha vida e carreira não serão definidas neste momento.