Marido de Ana Hickmann revela: “Por milagre não fui a óbito”

Empresário teve uma artéria do pescoço rompida durante luta contra o câncer

Nesta quinta-feira (12), a apresentadora Ana Hickmann publicou no YouTube um vídeo ao lado de seu marido, o empresário Alexandre Correa. O casal comentou sobre a luta contra o câncer enfrentada por Alexandre Correa e revelou detalhes do tratamento.

Alexandre contou que percebeu que havia algo estranho na garganta em dezembro de 2019, quando notou uma elevação no pescoço e após exames descobriu que eram linfonódulos. Três meses depois, em março, começou a sentir muita dor na região e em maio extraiu o material para biópsia. O material, porém foi “inconclusivo” e o empresário foi submetido a uma cirurgia em outubro.

Fomos à mesa de cirurgia.Foi um susto grande,porque o que saiu dedentro do pescoço não éde Deus, né? Não énormal. Eu voltei proquarto e depois de quatrohoras, uma artéria domeu pescoço rompeu. Porum milagre eu não fui aóbito. Volta pra mesa decirurgia… E eu passei amadrugada sendocirurgiado pra estancar osangramento da artéria.Depois de dois dias veio o diagnóstico

Ana Hickmann descreveu a notícia como um “soco no estômago”, porque o nódulo era um carcinoma já em fase de metástase e não era onde o câncer tinha começado. Apesar disso, os resultados de outros exames apontaram que o câncer ainda estava em fase inicial e que estava localizado na garganta, o que significa que o tratamento também será focado nessa região.

– Até a véspera de Natal, se Deus quiser, isso acaba – declarou a apresentadora, otimista.

Alexandre está sendo submetido à sessões de radioterapia todos os dias, exceto sábado e domingo, além de quimioterapia uma vez por semana.

É uma rotina exaustiva,mas a única coisa que agente quer é de fato selivrar do problema, que agente possa cuidar dafamília e trabalhar. Agente só quer continuar arotina da gente demaneira decente, sem virar um peso morto

O apresentador também revelou que o tratamento o tem feito refletir na situação socioeconômica das pessoas mais pobres.

– Nas horas que eu fico fazendo, principalmente, quimioterapia, eu fico pensando: Como é que uma pessoa de baixa renda trata de câncer? Como é que faz o pobre, como é que faz o miserável? Morre sem chance de lutar (…) Em 2021 eu vou, se assim Deus permitir que eu seja curado, me dedicar a ajudar pacientes de câncer – afirmou.