Macapá: Eleição foi adiada por ameaça do crime organizado

Segundo o ministro André Mendonça, dados do governo apontaram “alto risco”

O adiamento das eleições em Macapá, conforme decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aconteceu com base em informações de inteligência, de que organizações criminosas estariam articulando atos na capital do Amapá. Ao portal UOL, o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, disse que dados do governo mostraram “alto risco de realização nas eleições em função da criminalidade organizada”.

– Pelos dados que nos chegaram, esse risco estaria muito concentrado na capital. Não há indicações significativas desse tipo (de risco de atuação de organizações criminosas) a ponto de demandar o mesmo procedimento em outros municípios – falou Mendonça.

Em Macapá, o primeiro e o segundo turnos, da eleição municipal, foram adiados por conta do apagão elétrico no estado e estão previstos para os dias 13 e 27 de dezembro. Já outros 13 municípios, também afetados pela falta de energia, terão votação do primeiro turno no próximo domingo.