Inteligência artificial pode encontrar novos usos para medicamentos já existentes

Dois coelhos, uma cajadada: software reuniu base de dados de pacientes com problemas cardíacos e indicou quais drogas seriam boas candidatas para serem testadas contra tais doenças. Entenda.

No auge da pandemia de Covid-19, cientistas ao redor do mundo passaram a pesquisar se algum medicamento já existente poderia ter algum efeito em combater a infecção pelo coronavírus.

Não é exatamente uma novidade: essa estratégia, conhecida como reposicionamento de fármacos, é uma velha conhecida da medicina e, eventualmente, descobre novos usos para substâncias já presentes no me…

É o caso, por exemplo, da toxina botulínica – o botox. Inicialmente, ela era usada no tratamento do estrabismo. Hoje, é amplamente empregada em procedimentos estéticos e, mais recentemente, em tratamentos de doenças como a enxaqueca. O reposicionamento, contudo, pode ser uma aposta arriscada, já que exige tempo, dinheiro e testes complexos – que nem sempre terminam em resultados positivo… leia mais aqui