Conselho de Ética analisa casos de Silveira e Flordelis nesta terça

Expectativa é que relatores dos dois casos sejam escolhidos na reunião do colegiado

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados analisa, nesta terça-feira (23), dois dos casos de maior repercussão envolvendo parlamentares na história recente: a prisão de Daniel Silveira (PSL-RJ), detido por decisão do ministro Alexandre de Moraes após fazer críticas à Suprema Corte, e a situação da deputada Flordelis (PSD-RJ), acusada de participar do assassinato do marido.

A representação da Mesa Diretora da Câmara sobre abuso de prerrogativas e quebra do decoro parlamentar por parte de Silveira chegou ao Conselho de Ética da Casa na quinta-feira (18). O colegiado pode determinar punições e até mesmo fazer um parecer recomendando a suspensão ou a cassação de mandatos, o que precisa ser confirmado pelo plenário da Câmara.

Sobre o caso de Silveira, o presidente do Conselho de Ética, Juscelino Filho (DEM-MA), afirmou que haverá celeridade na tramitação do processo. O objetivo é fazer, já nesta terça, o sorteio de uma lista tríplice de escolha do relator da representação contra Silveira.

Já sobre a deputada Flordelis (PSD-RJ), suspeita de ser a mandante do assassinato de Anderson do Carmo, seu marido, em junho de 2019, no ano passado ela foi denunciada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por homicídio duplamente qualificado, entre outros crimes dos quais ela nega ter participado.

Ainda em 2020, o corregedor da Câmara, Paulo Bengtson (PTB-PA), entregou parecer em que recomendou a continuidade do processo disciplinar contra Flordelis, por quebra de decoro. Ele recomendou o envio do caso ao Conselho de Ética da Casa, o que ocorreu apenas na sexta-feira passada (19). A tendência é que também seja definido o relator do caso nesta terça.

Também tem parecer no colegiado o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). O caso diz respeito às afirmações feitas pelo filho do presidente de que o resultado de uma hipotética radicalização da esquerda seria a volta do AI-5.

Além dos três, os deputados Coronel Tadeu (PSL-SP), Carlos Jordy (PSL-RJ), Alê Silva (PSL-MG), Bibo Nunes (PSL-RS), Filipe Barros (PSL-PR) e Carla Zambelli (PSL-SP) são alvos de pareceres do conselho.