Caso Henry: Defesa do casal cria canal com sua “versão” dos fatos

Também foi criado um perfil no Instagram, com limitação de comentários

A defesa do vereador Dr. Jairinho e da professora Monique Medeiros criou perfis no Instagram e no YouTube e um site com o objetivo de “externalizar a verdade” e divulgar as versões do casal a respeito da morte do menino Henry Borel, ocorrida no dia 8 de março.

A página do Instagram, que leva nome da criança, teve as primeiras publicações feitas na semana passada, com fotos de Monique e do filho em momentos particulares, como idas à praia ou até mesmo em casa. Uma das postagens contém a seguinte legenda, nas palavras de Monique: “Você é o melhor filho que uma mãe poderia ter. Teve a melhor família que poderia ter. Você só conheceu o amor”.

No entanto, na última sexta-feira (2), todas as fotos foram apagadas, e o perfil se tornou uma forma de publicar as versões de Monique e do Dr. Jairinho a respeito da morte de Henry e de defender o vereador das acusações de agressão. Os comentários de todas as publicações são limitados.

Veja o perfil no link abaixo:

https://www.instagram.com/henryborelmedeiros/channel/?utm_source=ig_embed

Os administradores do perfil publicaram quatro vídeos de pessoas com os rostos cobertos, identificando-se como próximas do casal. Nas postagens, três mulheres e um homem rebateram as acusações de uma ex-namorada de Dr. Jairinho de que o parlamentar era violento com ela e com a filha e de que violências eram cometidas pelo vereador ao longo do relacionamento.

Essas publicações foram duramente criticadas por internautas, que chegaram a criar a hashtag #justiçaporhenryborel.

Na tarde desta terça-feira (6), as postagens foram de novo deletadas, e novas publicações foram feitas, desta vez com quatro vídeos do advogado André França Barreto, que representa Monique e Dr. Jairinho.

Em um dos vídeos, o advogado chega a explicar que é possível, sim, uma criança morrer por acidente doméstico.

Leia mais: