Luciana Uchoa a “Estrela” Ex-Marcos Pará, foi presa em hotel em Belo Horizonte com seu atual conhecido por “Surfista”

A ex-esposa do narcotraficante ‘Marcos Pará’ conhecida em Manaus por ‘toca o terror’ no comando do tráfico no Alvorada, deu golpe no ex-marido tomando as áreas dele, mas foi preso com o novo companheiro o “Sufista” em Belo Horizonte

Manaus – A presidiária Luciana Uchoa Cardoso, a “Estrela”, já foi apontada como a chefe do tráfico de drogas em grande parte do bairro Alvorada, na Zona Centro-Oeste de Manaus, ela “tocava o terror” na região, deixando moradores em pânico. Ela tocava o terror, a população tinha muito medo dela. Luciana também foi denunciada como a mandante da morte da recepcionista Bruna Freitas 23, executada em 2018, e estava foragida.

A “Estrela” e “Sufista” O casal 20 enviava drogas às favelas do Rio mas foi presa em hotel em Belo Horizonte.

Segundo informações o casal é suspeito de traficar drogas para favelas do Rio de Janeiro, mas acabou sendo presos nesta terça-feira, dia 6, em um hotel no Centro de Belo Horizonte (MG). Uma ação conjunta de policiais da 32ªDP (Taquara) com a Secretaria de Operações Integradas/MG, com o apoio da Draco e da Core de Minas Gerais, prendeu Luciana Uchoa Cardoso, de 36 anos, conhecida pelo codinome Estrela, e Harison Bruno Neves, de 29 anos, apelidado de Surfista. Segundo as investigações, ambos são integrantes da maior facção criminosa da Região Norte do Brasil.

A suspeita é responsável por enviar a maconha do tipo “skunk” (que é uma mistura com maior poder alucinógeno) produzida na Colômbia. Ela trazia a droga via fluvial e entrava nos estados localizados na Região Norte. Posteriormente, a droga era distribuída para comunidades cariocas controladas pela maior facção criminosa do Rio de Janeiro. A mulher já era investigada por tráfico de drogas e homicídios no Amazonas. Estrela era da FDN mas traiu a facção assim como Marcos Pará e foi pro CV.

Além disso, Luciana Uchoa Cardoso também é suspeita, segundo moradores, de ser a mandante da morte da recepcionista Bruna Freitas Rodrigues, 23. As duas, conforme informou a denunciante, eram amigas. Segundo a denúncia, Bruna teria sido executada após se relacionar com o traficante Carlos Alberto Soares dos Reis, o “Carlinhos do Alvorada”, 26, rival de Luciana. O crime pode estar ligado a uma queima de arquivo. “Era para matar os dois, a Bruna era amiga da Luciana e sabia demais. Ela poderia falar tudo o que a Luciana estava fazendo. Estão colocando a culpa no Carlinhos, que não tem nada a ver”, disse a fonte.

Ainda conforme as investigações, Estrela residia há cerca de dois anos na comunidade da Nova Holanda, no Complexo da Maré, Zona Norte do RJ, e havia viajo para Belo Horizonte para renegociar valores de fretes do transporte das drogas junto com o seu parceiro. Além de responsável pelas drogas, a suspeita ainda comanda os pontos de venda de drogas no bairro Alvorada, em Manaus, esses pontos ela tomou de seu ex-companheiro, que é conhecido como” Marcos Pará”.

O narcotraficante cumpre pena em presídio federal por tráfico de drogas e pelo homicídio do delegado Oscar Cardoso, ocorrida em 2014. Em 2015, uma investigação da Polícia Federal apontou que Luciana era a responsável pela contabilidade e lavagem de dinheiro do tráfico comandada pelo marido. No mesmo ano, seu falecido irmão Winchester Uchoa Cardoso foi preso em um hotel de luxo na Zona Sul do Rio.

Já Surfista possui diversas anotações por tráfico de drogas e foi o responsável pelo “golpe de estado” que ocorreu internamente em uma facção criminosa no Norte do país, que se juntou com a maior organização criminosa do Rio de Janeiro CV.

Os dois traficantes foram presos em flagrante por uso de documento falso, além dos cumprimentos de mandados de prisão pendentes. Cabe esclarecer que os documentos apresentados são originais com informações inidôneas, ou seja, ambos constam no Portal de Segurança.

Fonte: EXTRA.GLOBO.COM

Leia mais: