Bolsonaro,”Pessoal veio falar que eu aumentei o meu salário; é uma patifaria”

No fim do mês de abril, o Ministério da Economia publicou portaria que permite a reservistas e servidores públicos aposentados que ainda ocupam certos cargos públicos receberem acima do teto constitucional, atualmente em R$ 39,2 mil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) classificou como uma “patifaria” a notícia de que ele teria aumentado o próprio salário. “Pessoal falou que eu aumentei meu salário. Olha que patifaria da imprensa. Imprensa canalha. Patife. Eu aumentei meu salário? Vocês não têm moral para pipoca nenhuma, essa imprensa brasileira”, disse durante transmissão semanal ao vivo pelas redes sociais.

No fim do mês de abril, o Ministério da Economia publicou portaria que permite a reservistas e servidores públicos aposentados que ainda ocupam certos cargos públicos receberem acima do teto constitucional, atualmente em R$ 39,2 mil. A medida foi assinada pelo secretário de Gestão e Desempenho do Ministério da Economia, Leonardo José Mattos Sultani, e permite aumentar os rendimentos do presidente e do vice-presidente, Hamilton Mourão.

Estatais

O presidente também comentou a troca no comando do Banco do Brasil, atualmente sob a presidência de Fausto Ribeiro. Em março, o então presidente do banco de controle estatal André Brandão comunicou que deixaria o cargo após atritos com o presidente Jair Bolsonaro, entre outros motivos, pela insistência do Planalto em manter agências abertas para as quais há a suspeita de servirem como cabides de empregos. “O Banco do Brasil mudou o presidente, mudou a diretoria, mudou muita gente lá para melhor”, disse.

“Lembra da Petrobras, quando falei que não iria renovar o contrato do presidente anterior? Foi na sexta-feira à noite. Até segunda-feira de manhã as ações caíram 30%. E pancada. Agora, gente ganhou dinheiro em cima disso”, emendou o presidente. “E ninguém do nosso meio comprou ações. Gente de dentro da Petrobras comprou. Espero que as investigações prossigam no tocante a isso”, destacou Bolsonaro. (Colaborou Lorenna Rodrigues)

Leia mais: