“Nunca colocarei um parente meu na política. É imoral e isso precisa acabar” diz vereador Rodrigo Guedes

”Tenho uma filha e posso ter vários mandatos, mas não vou colocar ela na politica. Isso é uma grande imoralidade, uma verdadeira ”parentocracia”, ”filhocracia”, como se estivéssemos vivendo nas capitanias hereditárias. O sujeito ou a moça não tem contribuição pública nenhuma na sociedade, para o coletivo, alguma luta, na maioria das vezes nunca teve sequer alguma dificuldade na vida, não conhece a realidade das pessoas, ai o pai empurra pra política para o povo sustentar, como se fosse um emprego que arranja pro filho, usando a máquina pública, muito dinheiro, a corrupção, o poder e acaba vencendo. A única coisa que o(a) diferencia é ser filho(a) de algum político(a). Ai temos que aceitar a política passando de pai pra filho como se isso fosse normal. Fica um encosto pra sociedade sustentar.”

”Tô fora! Minha filha ou qualquer outro filho que eu possa ter não irão, se depender de mim. E nem indicarei minha filha ou neto(a) que eventualmente posso ter para qualquer cargo público. Não farei parte dessa imoralidade! Essa prática não tem meu apoio e espero que o povo abra o olho em relação a isso”

Vereador Rodrigo Guedes

Leia mais:

error: O conteúdo está protegido !!