Micro e pequenas indústrias crescem no 1º trimestre, mas alta de custos preocupa, mostra CNI

Panorama da Confederação Nacional da Indústria indica melhora no índice de desempenho, que registrou aumento sucessivo nos primeiros meses do ano

O primeiro trimestre de 2022 foi positivo para micro e pequenas empresas, mostra pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O panorama indica melhora no índice de desempenho, que registrou aumento sucessivo nos primeiros meses do ano, alcançando 45,5 pontos de janeiro a março. É o melhor desempenho das micro e pequenas no primeiro trimestre desde 2012. O aumento na confiança do empresário e na perspectiva também foi registrado. Entretanto, a situação financeira piorou e o grande problema está no custo da matéria prima, principalmente para empresas da indústria extrativista, de transformação e construção. A carga tributária é o segundo maior empecilho para o crescimento. 

Apesar do otimismo e das perspectivas positivas, as condições financeiras caíram 3,7 pontos nos primeiros meses de 2022. Segundo o gerente de análise econômica da CNI, Marcelo Azevedo, a falta de insumos e o aumento dos custos têm afetado mais as pequenas empresas. “Há uma preocupação maior neste primeiro trimestre do que no último do ano passado. Diferente do que aconteceu com o total da indústria. As pequenas empresas vêm enfrentando mais dificuldades com relação a isso”, explica. O panorama da micro e pequena indústria é divulgado a cada trimestre e reúne quatro indicadores: desempenho, situação financeira, perspectiva e índice de confiança. Todos os índices variam de 0 a 100 pontos, sendo que quanto maior for o número melhor é a percepção.

Leia mais:

error: O conteúdo está protegido !!