Pai e madrasta foram presos acusados de maus-tratos contra menino de 4 anos em Manaus

O casal , que é pai e madrasta do menino de 4 anos, está sendo investigado após a criança dar entrada com sinais de agressão no Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste

O pai e a madrasta do menino de quatro anos, que está internado em coma em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após suposta tortura, foram presos na ‘Operação Acalento 1’, na manhã desta quarta-feira (15). A criança deu entrada no Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste com um quadro de parada cardíaca e respiratória no dia 10 de junho.

O portal dos fatos falou com um dos familiares da criança, que disse que os maus-tratos já eram rotina, pois a criança quando voltava da casa do pai reclamava das agressões da madrasta.

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) abriu um inquérito, e o que era tratado inicialmente como um caso de maus-tratos, foi configurado como um crime de tortura.

A juíza plantonista Rosália Guimarães Sarmento expediu o mandado de prisão temporária, por 30 dias, do casal, que também era responsável por outra criança de sete anos.

Durante a manhã desta quarta-feira, a PC-AM cumpriu o mandado e se deslocou até a residência do casal, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus.

No entanto, os suspeitos não estavam no endereço, e foram encontrados na casa de familiares, no bairro Lago Azul, Zona Norte.

“Eles não estavam mais no endereço da violência. Eles teriam saído da casa após ameaças de vizinhos. A gente sabe que toda a população se revolta com uma violência desse nível praticado contra uma criança, então a gente não questiona essa parte. A advogada do casal veio a delegacia e deu um segundo endereço e eles também não estavam nesse local, e em uma conversa com os familiares encontramos uma solução, [um familiar] que ligou para eles e informou que estávamos com o mandado”, afirmou Joyce Coelho

Técnicos do hospital informaram às autoridades que o menino tinha marcas de agressões, principalmente no rosto e região genital.

A delegada titular da DEPCA, Joyce Coelho, revelou que no dia 31 de maio, a mãe da vítima, que pegava o filho aos fins de semana, levou o menino à DEPCA para denunciar os maus-tratos que ele estaria sofrendo, supostamente, pelo pai e madrasta.

No dia 4 de junho, a vítima deu entrada no Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste apresentando vômitos por ter engolido uma moeda de R$ 1. A criança expeliu o objeto e retornou para a casa do pai.

Seis dias depois, no dia 10 de junho, a criança deu entrada novamente na unidade, desta vez, com uma tampa de pasta de dente na garganta, e apresentando um quadro de parada cardiorrespiratória, precisando ser reanimada pela equipe de saúde. Desde então, o menino está em coma.

No último boletim médico, que foi informado pela mãe à reportagem, a criança vem apresentando melhoras, mas precisou ser levada ao Hospital Delphina Aziz para realizar exames de ressonância, que serão incluídos na investigação policial.

Entenda o caso:

error: O conteúdo está protegido !!