Ministério Público de SP acusa procurador de agredir chefe com ‘vontade de matar’

Promotores ressaltaram a intenção do réu em ‘buscar a cabeça’ em suas agressões e imputaram a Demétrius Macedo o crime de tentativa de homicídio; rapaz terá 10 dias para apresentar defesa

Os promotores Daniel Godinho e Ronaldo Muniz, do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), anunciaram nesta quinta-feira, 30, que o procurador Demétrius Oliveira de Macedo agrediu a procuradora-geral Gabriela Samadello com a intenção de matá-la. De acordo com a dupla, os socos e chutes desferidos na mulher buscavam sua cabeça e este é um indicativo da tentativa de homicídio.

“A intensidade dos golpes, a recorrência dos golpes, o local do golpes, a região vital do corpo, demonstram, ao nosso ver, a vontade de matar”, argumentou Daniel. Seu colega Ronaldo segue na mesma linha e diz que a vida da promotora foi salva quando as testemunhas conseguiram trancá-la em uma sala para que o agressor não tivesse acesso à vítima. “A vontade do agente é caracterizada no vídeo plenamente. Vai em direção à cabeça da vítima, joga uma testemunha contra uma porta, mostra ali toda a sua agressividade, mostra que se não tivesse ninguém naquele local, ele iria encerrar aquilo que começou”, ressaltou.

Leia mais:

error: O conteúdo está protegido !!