Casal é criticado por registrar bebê com nome de Lúcifer

Moradores do Reino Unido não são religiosos e homenagearam personagem de série da Netflix

O casal Ronni Lily e Brad resolveram registrar seu segundo filho com o nome de Lúcifer e, desde então, passaram a sofrer ataques nas redes sociais. Moradores de Birmingham, West Midlands, Reino Unido, os pais do pequeno garoto enfrentam o tribunal da internet pela escolha motivada por uma série da Netflix.

– Somos muito abençoados por ter dois meninos e duas meninas […]. Quando eu estava grávida, ele (Brad) tinha acabado de assistir à série Lúcifer e nós dois concordamos que era um nome legal – conta a mãe para o What’s The Jam.

Mas as críticas ao nome do caçula também parte de familiares, segundo Ronni, um parente chegou a dizer que a escolha do casal é uma “abominação” e que tinha odiado o nome do menino que nasceu em janeiro deste ano.

Sobre as mensagens das redes sociais, a mãe de Lúcifer diz que algumas pessoas esperavam que fosse apenas um apelido, outros dizem que deveria ser proibido registrar alguém com este nome, mas outros associam a criança ao diabo.

– Outros pais disseram que dei a ele o nome do diabo, então ele será como o diabo. Isso é simplesmente estúpido, você não pode rotular negativamente uma criança – rebate Ronni.

Lúcifer significa “portador da luz” ou “Estrela da Manhã”, mas é mais comumente conhecido como o nome do diabo, tanto que em algumas países este nome é proibido. O casal não é religioso.

Todos os quatro filhos de Ronni e Brad têm nomes que começam com L, sendo Lola, de 6 anos, Lincoln, de 3 e Lilac, de 2 anos.