Em ato ilegal, presidente do Sindicato dos Jornalistas do AM tenta reverter reprovação de contas

O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Amazonas (Sinjor-AM), Wilson Reis, teve a prestação de contas referente ao ano de 2023 reprovada em assembleia-geral realizado no dia 29 de abril, com 11 votos contra e sete a favor. Porém, ele tenta reverter a decisão com ato ilegal, ao anular a assembleia anterior e convocar uma nova para esta terça-feira (4).

A reprovação das contas torna Wilson Reis inelegível para a próxima eleição do sindicato no ano de 2026. Ele ocupa o cargo de presidente há mais de 10 anos.

Em reunião com a diretoria executiva do sindicato, o presidente anulou a assembleia anterior e convocou uma nova para esta terça-feira (4), às 19h. A convocação foi realizada sem a publicação da ata da reunião executiva em cartório e fora do prazo legal para o julgamento da prestação de contas do ano passado, que era até o dia 30 de abril.

No documento da convocação do dia 29 de abril, Wilson Reis omitiu que todos os jornalistas sindicalizados precisavam estar com a anuidade de 2024 em dia. Os profissionais que votaram estavam com menos de um ano da anuidade de 2023 paga e não receberam notificações sobre o atraso do pagamento no ano corrente.

Na nova convocação, Reis informou que os sindicalizados aptos a votar precisavam estar “quites com as obrigações estatuárias” sem fornecer detalhes específicos.

As contas de 2023 foram reprovadas em razão de ilegalidades no balanço patrimonial do sindicato, incluindo doações não contabilizadas, falta de documentos fiscais, notas fiscais com rasuras e apagadas, além de débitos sem identificação no extrato bancário. No ano passado, o sindicato movimentou mais de R$ 157 mil, a maioria oriunda de verba pública.

*Com informações do Amazonas News